A voz da natureza

Recuperação de áreas degradadas: como é feito esse processo?

Está sem tempo para ler? Então ouça a matéria aqui


A Constituição Federal prevê que a recuperação de áreas degradadas é uma obrigação dos agentes infratores. Portanto, qualquer atividade que interfira no ecossistema, sem que haja projetos de recuperação ou alguma contrapartida deverá ser caracterizada como crime ambiental.

Entretanto, você sabe o que são áreas degradadas, qual é o objetivo da recuperação das mesmas e quais os tipos de recuperações que existem? Neste post, vamos explicar tudo isso. Você também vai conhecer um belo exemplo de como recuperar uma área com problemas ambientais.

Ficou interessado no assunto? Então, acompanhe o nosso post!

O que são áreas degradadas?

De forma geral, as áreas degradadas são aquelas que após algum tipo de distúrbio têm seus meios de regeneração eliminados. Ou seja, são áreas que sofreram com a mineração, o uso intensivo do solo para fins agropecuários, queimadasconsecutivas ou desmatamento, e que não vão conseguir se recuperar da maneira natural.

Qual é o objetivo da recuperação de áreas degradadas?

O processo da recuperação de áreas degradadas permite que o espaço danificado tenha novamente seus recursos bióticos e abióticos suficientes para que seja equilibrado. A área deve prever sua nova utilização em consonância com um plano de uso do solo preestabelecido.

O plano de recuperação de áreas degradadas deve ter como princípio o uso sustentável dos recursos naturais e a preservação dos ecossistemas como diretrizes para a recuperação. Além disso, dependendo do nível de degradação, a área pode sofrer uma restauração que visa o retorno a um estado intermediário estável.

Portanto, a área também pode passar por uma reabilitação na qual sofre um retorno ao estado intermediário das condições da vegetação. Por fim, ela poderá sofrer uma redestinação ou redefinição quando for necessária a presença humana para auxiliar no processo de recuperação.

Entretanto, para promover o processo de recuperação de áreas degradadas você deverá identificar o local e o tipo de ecossistema que precisa ser recuperado. Também é importante identificar a causa da degradação e se há a necessidade de intervenções indiretas para a recuperação. Para recuperar as áreas degradadas são empregadas várias técnicas que deverão ser aplicadas com as condições dos locais.

Quais os tipos de recuperação que existem?

Plantio de Mudas

O plantio de mudas é umas das técnicas de recuperação de áreas degradadas. É uma técnica onerosa, do ponto de vista financeiro, porém, uma das mais efetivas iniciativas para regenerar uma área degradada. Em geral, o plantio de mudas nativas apresenta um alto índice de crescimento e após dois anos, a área já se encontra reestabelecida e em equilíbrio.

Plantio de sementes

Também há o plantio de sementes. Ele deve ser feito sob critérios específicos, de modo a substituir e favorecer a relação simbiótica das plantas com os insetos polinizadores.

No entanto, para que esse tipo de recuperação seja bem sucedida, é necessário que ela seja empregada sob condições mínimas que permitam o processo de regeneração e que favoreçam o recrutamento de embriões vegetais e que permite a substituição de simbiontes e polinizadores faltantes.

Recuperação natural

A recuperação natural de áreas degradadas é quando uma área se regenera naturalmente. No entanto, para que isso aconteça é necessário superar algumas barreiras que podem prejudicar a regeneração, como por exemplo: ausência de sementes para a colonização do local, falha no desenvolvimento de mudas jovens, falta de polinizadores, dispersadores e de simbiontes. Esse método é o mais indicado no caso de recuperação de áreas de preservação permanente.

Recuperação com espécies pioneiras

O plantio com o uso de 100% de espécies pioneiras é um bom modelo para ser aplicado em áreas vizinhas ou bem próximas a algum fragmento florestal, onde os ajustes naturais são suficientes para promover o enriquecimento natural da área, reduzindo assim os custos de plantios de enriquecimento complementares.

Esse método também é recomendado quando a área está muito degradada, ou seja, quando a regeneração natural não acontece e as espécies secundárias e clímax não se estabelecem neste ambiente.

Que exemplo bem sucedido de recuperação de áreas degradadas pode ser citado?

Há vários exemplos bem sucedidos de recuperação de áreas degradadas. Um deles é o reflorestamento com espécies nativas, de áreas degradadas e em recuperação da ITAIPU BINACIONAL, no município de Foz do Iguaçu (PR).

O trabalho serviu para a recuperação de áreas degradadas por meio da implantação de espécies florestais nativas para recuperar e proteger o solo, além de recompor a paisagem. Após preparar o solo, foram introduzidas aveia-preta (Avena strigosa) e tremoço (Lupinussp) para cobrir o solo e incorporá-lo.

Também foram utilizadas 16 espécies arbóreas nativas como louro-pardo, tarumã e timburi, e plantadas 150 mudas de cada espécie, com espaçamento de 3mx2m, numa área de 2 hectares.

Viu como é possível fazer a recuperação de áreas degradadas? Agora que você conhece um pouco mais sobre o assunto, que tal fazer um curso na área do meio ambiente? Pense nisso, esse pode ser seu grande futuro!

Gostou do nosso conteúdo? Siga a nossa empresa no Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin Youtube, e confira mais conteúdos interessantes como este!


Compartilhe com seus amigos esse post
Recuperação de áreas degradadas: como é feito esse processo?

Este post tem um comentário

  1. quando haverá outro congresso de consultoria?

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Combo 1
Sem prêmio
Melhor sorte na próxima
Combo 2
Passou perto
Sem prêmio
Combo 3
Está sem sorte
Hoje é seu dia de ganhar um prêmio especial!
Digite seu melhor e-mail e gire a roleta. Esta é sua chance de ganhar WALLPAPERS INCRÍVEIS!
Nossas regras internas:
  • Um jogo por usuário
  • Cheaters serão desqualificados.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com